Happy Music

Música feliz para uma sexta-feira chuvosa no Rio.

Little Joy

A banda nova do Amarante é muito melhor (que me desculpem os puristas) que o Los Hermanos e igualmente superior ao trabalho solo do Camelo. Mas essa é minha opinião, e opiniões, como traseiros, temos todos.

Esse é o clip de Next Time Around. Gravado despretenciosamente (ao que tudo indica), vemos Amarante, Fabrizio Moretti e Binki Shapiro relaxadões, com seus violões à postos, e harmonizando lindamente. Me deu um sentimento meio nostálgico… quase a mesma sensação que tenho ao ouvir Because ou Sun King, dos Beatles. Ah, e se eu entendi bem, eles cantam uma pequena parte em português, o que é bem legal.

Little Joy – Next Time Aroud

Ok Go

Tá certo, esse clipe tem quase 1000 anos já, mas é bem divertido. Relembrem.

Ok Go – Here it Goes Again

Depois tem mais coisas. Até.

Duda

3 x 0

Apesar de parecer placar de jogo de futebol, 3 x 0 é a prova de que Deus opera milagres nos dias de hoje.

É a prova de que Deus é soberano e justo, e que assegura para Si mesmo o direito de restaurar a vida daqueles que O amam.

3 x 0 é a manifestação da Glória de Deus na vida de uma família.

“Meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra”. As verdades bíblicas são eternas.

Esse post não tem relação nenhuma com a banda, mas tem a ver com Deus. E esse blog, tem a ver com Deus, em primeiro lugar.

nosso primeiro cover

O Elly Aguiar, grande amigo nosso, mandou o link de um vídeo que ele gravou em sua Igreja, a Comunidade de Jesus em São Bernardo do Campo, São Paulo. A Igreja é pastoreada pelo Gerson Borges (com quem o Elly também toca baixo).

O Elly tocou a música Mais Chegado que um irmão, numa versão um pouco diferente da nossa:

Muito legal receber isso, ficamos emocionados. Elly, que Deus te abençoe, e ao teu trabalho também!

Divirtam-se,

Duda

perplexo

…então, ontem eu estava em uma livraria próxima à minha Igreja e acabei descobrindo que o livro The Reason for God, do pr. Timothy Keller, foi lançado em português pela editora Campus / Elsevier

Essa seria uma notícia muito boa, não fosse o preço do livro em português: R$ 68,00.
Isso não faz nenhum sentido. O livro, que é um grande sucesso nos EUA, tendo chegado ao 7º lugar na lista de livros mais vendidos do New York Times, deveria ter uma grande campanha de marketing para justificar parte do preço tão salgado, mas até onde eu saiba, não foi o caso.
Uma pena. Quem conhece o trabalho de Tim Keller na Redeemer Church de Nova Iorque sabe que há muita coisa boa sendo dita por ele.
Pessoal da Campus/Elsevier. Caso vocês leiam isso, saibam que quase 70 reais é um preço muito caro para um estudante de teologia e profissional autônomo. Portanto, aceito doações. 🙂
Eduardo

salmoamargo, #03

Ouve minha súplica, Senhor
Ajuda-me a entender os meus dias
Os que se dizem Seus
Não buscam prazer em Tua Palavra.
Antes, sua alegria está
Em escarnecer a Tua noiva.
Ouve minha súplica, Senhor
Vem ao encontro do meu triste coração
Pois deveríamos ser conhecidos pelo amor
E não pela cisma em nosso meio
E se não amamos ao nosso próximo,
Como iremos amar a Ti acima de tudo?
Ouve minha súplica, Senhor
Ouve meu grito silencioso
Converte nossos corações a Ti
Dá que busquemos a compreensão
A começar em mim,
A começar em mim.
Salmoamargo #03, Eduardo Mano

Aquele que Me Ama

Música de Sérgio Pimenta. Gravada no disco Criação, do Grupo Semente.

A letra é extremamente simples:

“Aquele que tem
Os Meus mandamentos e os guarda
Esse é o que me ama

E aquele que me ama
Será amado por Meu Pai
E Eu também o amarei
E Me manifestarei a Ele”

Mas por mais simples que seja, é bíblica (leia João 14:21) e também é uma promessa clara de Cristo àqueles que… bem… guardarem Seus mandamentos.

Eu e os rapazes (nominalmente Cadu, Sandro e Léo) fizemos uma adaptação da música do Sérgio Pimenta. Um vídeo foi gravado dessa versão (sem o Léo, infelizmente), e ei-lo aí em baixo.


Eduardo Mano – Aquele que Me Ama (Sérgio Pimenta)

Eu tenho toda a noção do mundo que essa versão não faz juz à canção original do Sérgio, mas essa é a nossa contribuição para que o legado da boa música cristã permaneça. Não importa se ela foi escrita há mais de 20 anos, ela continua atualíssima, justamente por ser bíblica.

Um abraço,

Duda

Amy Grant – Time Again DVD

Assim como para o revBaggio, Amy Grant (péssimo, péssimo site) teve um papel importante na minha formação musical. Lembro-me de uma viagem Rio-SP de carro onde The Collection tocava constantemente no CD. Também me lembro de ouvir com certa constância o CD Lead me On. Além disso, tinha um CD ao vivo dela, o In Concert Volume II, que contém uma versão de What a Difference Youve Made in my Life (em português, a clássica Jesus Cristo Mudou meu Viver).

Há algum tempo eu queria seu mais recente DVD, Time Again, e nesse sábado fui presenteado com o mesmo. A voz de Amy está fantástica, e a banda que a acompanha é excelente. Há um pequeno set no meio do show, onde ela toca algumas canções sentada em um sofá no palco (lindíssima composição de cenário) cuja seqüencia é ótima: In a Little While / Thy Word / My Father‘s Eyes / El Shadday. Simplesmente lindo.

Há ainda uma versão de Big Yellow Taxi, canção de cunho ambientalista dos anos 1970, escrita por Joni Mitchell, que ficou bem legal.

O ponto baixo fica por conta dos extras. Eu sou viciado em extras de DVD, e infelizmente, embora haja algumas coisas bem legais, não são lá expetaculares.

Eu aconselho fortemente a compra desse DVD. Primeiro pela beleza da gravação, e em segundo lugar pela força que Amy Grant tem na CCM. Vale a pena.

Duda

Notas

Muitas coisas legais acontecendo, então vamos logo ao que interessa

Links

Alguns amigos têm dado um apoio danado ao EP, e isso é muito legal. Em especial aqui temos as postagens do John Costa, que está de volta com seu novo (e melhorado) blog e do Jota Mossad, que também é amigo do John. Jota deu uma moral forte demais, tanto no seu blog quanto no Solomon 1. Eis os links:

John Costa
Jota Mossad
Solomon 1 – Esse é bem especial, pois teve direito a uma mini entrevista e a um press release semi- profissional.

Vídeos

Além dos vídeos que postei dois posts abaixo desse, temos mais alguns, que seguem:


Mais Chegado que um Irmão – Eduardo Mano

Para assistir nossos outros vídeos, acesse nosso canal no YouTube.

É isso… boa noite… boa leitura e Deus abençoe!

Duda

Tu me amas?

Durante uma aula de Aconselhamento Pastoral, começamos a discutir algo que me levou a pensar. A conversa girava em torno do texto de João 21:15 a 17. Eis o que ficou na minha cabeça. Pedro, ao final de seu “curso teológico” de 3 anos ao lado de Cristo, passou por uma prova final. Nessa prova, Cristo não lhe perguntou sobre sua convicção doutrinária a respeito da salvação, se ele cria no batismo por imersão ou por aspersão, ou ainda qual sua posição a respeito de questões escatológicas como arrebatamento e tribulação.

A pergunta que Cristo fez a Pedro foi simples (embora haja diferença de sentido no verbo amar usado no grego): Tu me amas? Uma pergunta assim, a gente até imagina que não tem como responder errado. Mas o que vemos no texto é que Pedro não sabia o que dizer:

15 Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: Apascenta os meus cordeiros. 16 Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas. 17 Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas.
(versão: Almeida Revista e Atualizada)

Como disse, há uma diferença de sentido no verbo amar que o texto em português não transparece. Afinal, se não houvesse tal diferença a gente pensaria que Pedro ficou triste pela insistência de Jesus em perguntar, quando na verdade, Pedro ficou chateado com sua própria condição de não poder amar a seu mestre da mesma forma como era amado. Não foi Pedro que mudou sua resposta, mas sim Jesus que mudou sua pergunta.

Jesus sabia o que estava no coração de Pedro, assim como sabe o que está no nosso. E quando nos damos conta disso, dá uma certa vergonha. Cristo vê minhas angústias e anseios, assim como meus desejos obscuros, vontades sórdidas e total depravação. E ainda assim, de alguma forma, mesmo sabendo de antemão qual será nossa resposta à pergunta “tu me amas”, ele dá que alguns de nós apascentem Sua Igreja.

No entanto, a questão que realmente ficou na minha cabeça é a seguinte: o que realmente importa para Deus, a primeira pergunta que Ele tem para nós, não é se eu acredito firmemente nos 5 pontos do calvinismo (nos quais eu particularmente creio), ou se sou um cristão pós-moderno e participante de todos os movimentos orgânicos e emergentes da Igreja. O que Ele realmente quer saber é isso: “tu me amas”?

Pensando bem, “tu me amas” sintetiza a forma como devemos pensar e viver nossa relação com Deus. Eu posso amar o Deus que me dá vida? Eu posso amar o Deus que criou os céus e a terra? Eu posso amar o Deus que permite calamidades e catástrofes? Essas todas são perguntas importantes, e precisamos tê-las em mente quando nosso amor for questionado.

Eventualmente, todo cristão um dia ouvira de seu Senhor essa pergunta. E eu posso garantir que, assim como Pedro, provavelmente tudo o que conseguiremos é dar a resposta mais honesta possível, e é justamente isso que Deus está à procura.

A realidade é que nunca iremos amá-Lo na mesma medida e intensidade que Ele nos ama. Seu amor nos constrange. Pense na parábola do filho pródigo. O filho voltou para casa, arrependido, mas ciente de que na casa de seu pai, nada faltava a seus empregados. Ele não tinha expectativa de ser recebido de volta na condição de filho. Mas quando o pai o vê, e corre ao seu encontro, o que vemos é amor puro, que constrange grandemente. O compositor Stênio Marcius tem uma letra sobre essa parábola, e seu refrão diz assim: “O seu amor é tão forte, mais do que o inferno e a morte, são torrentes que arrebentam o chão. Mais fácil secar os mares, apagar a estrela antares, que arrancar o amor do Seu coração”.

Nós não amamos como Ele, mas Ele tem amor de sobra. É nessa confiança que precisamos caminhar, rumo ao nosso lar.

Final-de-semana passado

Neste final de semana nós estivemos em duas Igrejas. E quando eu digo nós, me refiro a eu, o Sandro e o Cadu. O Léo não pode ir pois tinha outro compromisso m(sábado) e depois ficou doente. Mas ces’t la vie.

Temos saído nesse formato redux por causa do EP, e a experiência tem sido boa. Não melhor nem pior que sair com a banda completa, apenas diferente. Ninguém espera ver três caras sentados, munidos apenas de violões e cajon para dirigir o louvor, não é mesmo?

Sem mais delongas, vamos ao resumo da ópera:

PIB em COSMORAMA, 01.11.08

A galera da Igreja nos chamou para lançar o EP por lá, num jantar celebrando o início do novo ciclo de Grupos Pequenos na Igreja.

Fomos (como sempre acontece lá) muito bem recebidos, desde o pessoal do transporte até o pessoal da comida. Para o lançamento do EP, eles montaram um cenário com sofá, mesa de centro, TV, estante de livros, algo que lembrava a capa do EP. Ficou de um extremo bom gosto, e nos sentimos abençoados pelo cuidado dos irmãos.

Durante o culto, sentimos na pele as agruras de sermos uma banda independente, que ninguém conhece: tocamos todas as 7 músicas do EP, além de dois cânticos. Como ninguém conhecia as músicas, não demorou muito para que o pessoal começasse a conversar (e não os culpo por isso). Sabemos que não era algo pessoal, mas talvez tenha sido um erro de planejamento nosso.

De qualquer forma, as músicas foram bem recebidas, e várias pessoas acompanharam a letra, o que foi bom. Além disso, 50 pessoas saíram de lá com um CD nas mãos, com as músicas do EP, fruto de uma parceria que fizemos com a Igreja.

A noite fechou com um delicioso jantar e boas conversas. Abaixo você confere as fotos e alguns vídeos.


Tu És Deus

01 de Novembro – PIB Cosmorama – Fotos

PIB em VISTA ALEGRE, 02.11.08

No domingo à noite fomos até São Gonçalo para participar do primeiro dos 5 cultos de aniversário da PIB de Vista Alegre. Uma igreja linda, linda mesmo. Não só isso, como eles também têm uma equipe de louvor assim, digamos, animal.

Tocamos 5 músicas, sendo apenas duas da banda (teremos vídeos da ministração ainda essa semana). Foi tudo ótimo, e a receptividade do pessoal foi muito boa. O som também estava excelente, muito bem regulado, coisa que convenhamos: não encontramos em qualque Igreja.

Interessante ver que tanto em Cosmoram quanto em Vista Alegre, Igrejas relativamente jovens (10 e 26 anos, respectivamente, se não me engano), algumas coisas (organização, atenção, cuidado…) funcionam bem melhor que nas Igrejas assim, digamos, mais velhas.

Eis as fotos:

02 de Novembro – PIB Vista Alegre – São Gonçalo – Fotos

Bem, é isso… teremos mais vídeos ao longo da semana.

Um abraço,

Duda