Velhas Verdades em Castellano

No início de 2015 eu e Eline fomos ao Chile para conhecermos o campo daquele país e conhecer os irmãos da Iglesia Uno, que nos recebeu tão carinhosamente. um dos pontos altos desta ida ao país foi poder servir à Igreja chilena (especialmente a presbiteriana) através da música.

Contamos com a ajuda do amigo Jonathan Muñoz, pastor da Iglesia Uno, para traduzir duas canções: Tu és Deus e Como Ninguém me Conheces. As tocamos onde fomos e pela graça de Deus tivemos boas respostas a elas. Em uma das vezes, conseguimos gravar o áudio da execução da música, e disponibilizamos o MP3 para quem quiser baixar no bandcamp, e em streaming em serviços como o Spotify e o Deezer.

2 anos depois, descubro um vídeo de um irmão chileno tocando Como Ninguém me Conheces (Como Nadie me Conoces), e através desse vídeo, soube que a música foi tocada em um retiro de jovens cristãos. Os vídeos estão aí em baixo.

Tudo o que fazemos é para abençoar a Igreja de Cristo. E é bom saber que a Igreja de Cristo em outros países, e em outras línguas, pode se beneficiar de algo que Deus nos concedeu.

Glórias a Deus por isso. A Ele toda Honra.

Para frente é que se anda

Sou péssimo em manter frequência na escrita aqui neste espaço. Por mais que prometa, por mais que eu queira, não consigo. No ano passado todo foram apenas 5 postagens. Gostaria de me dedicar mais a escrever. Como tudo na vida necessita de prática, vamos ver se praticando a coisa anda.

Quando comecei este espaço, há 12 anos atrás, a ideia era registrar o processo de gravação de um  CD (que, à época, nunca aconteceu). basta ir nos arquivos deste logo para encontrar estas histórias. Foi o mesmo ano em que comecei a estudar teologia em um seminário batista aqui no Rio. 3 anos depois, iniciamos aquilo que viria a ser o Ministério Velhas Verdades, quando gravamos o Canções para Grupos Pequenos, em 2008.

Hoje, muita coisa já aconteceu. Eu e Eline nos casamos e hoje temos uma filha. Gravamos mais 4 trabalhos ao longo deste tempo, viajamos por muitos lugares e pudemos servir a igreja de Cristo no Brasil e em outros países. Embora não tenha terminado a formação em Teologia hoje voltei a estudar no Martin Bucer, fazendo o básico em teologia para desenferrujar e me preparar para, Deus queira, o mestrado.

Nada disso foi por nossa força ou mérito, mas sim pela graça de Deus. Os desafios que temos para 2017 / 2018 são grandes e queremos ser fiéis a Deus naquilo que Ele coloca à nossa frente. Este espaço não está acabado, e espero que seja mais dinâmico. Embora as limitações da plataforma me impeçam de fazer algumas coisas, manteremos este endereço como ponto de suporte de nosso ministério (junto ao Facebook e ao Instagram).

Ore pela gente. Vocês 3 que de vez em quando ainda passam por aqui.

Que Deus seja exaltado em tudo.

SDG

Eduardo Mano

Velhas Verdades em Portugal, 06

capa_FB

Estamos em Lisboa. E agora falta pouco para voltarmos ao Brasil.

O tempo em que estivemos no Porto foi muito frutífero. Fizemos amigos, servimos igrejas e pessoas, e cremos que pudemos ajudar na Obra que Deus tem no norte do país. Não há como não mencionar a gratidão que temos a homens como o Pastor Eliel Harada e sua esposa Eleni, do Tabernáculo Baptista do Porto; Pastor Dinê Renê Delgado Lota e sua esposa Rose, da Congregação Baptista em Guimarães; Lucas Daniel, missionário da Associação Baptista do Norte; dentre outros. Foram meses de muito trabalho e alegria.

Agora em Lisboa estamos próximos aos amigos que conhecíamos originalmente em Portugal. No último domingo tivemos a oportunidade de servir novamente aos irmãos da Igreja Baptista da Graça, pastoreada por Jónatas Lopes, amigo que tem sido uma grande benção para nossa família. Cremos que Deus nos dará outras oportunidades de servi-lo enquanto estivermos aqui, e oramos para sermos usados. De qualquer forma, um casal que tem sido de grande benção em nossa vida, Nuno e Dail Coelho, têm nos ajudado como cicerones, companhia e também como confidentes / conselheiros. Damos gratos a Deus pela vida deles!

Peço que continuem orando por nós, e pelas oportunidades que Deus ainda têm para que O sirvamos aqui. Fazemos isso unicamente pela glória de Cristo, para o bem de Sua igreja. A Ele toda honra!

Um forte abraço,

Eduardo e Eine Mano

Velhas Verdades em Portugal, 05

Feliz Ano novo. Mesmo que com alguns dias de atraso.

Geralmente a virada de ano é um momento em que passamos cercados de nossos familiares, ou daqueles a quem amamos e conhecemos bem. Imagino que muitos dos que acompanham este ministério tenham passado a noite de ano novo desta forma. Para nós, foi um pouco diferente.

No Brasil, estamos acostumados a retiros de carnaval, ou de páscoa, ou de outros feriados prolongados. Algo que vivenciamos aqui foi inédito (ao menos para nós): um congresso de missões em plena virada de ano. E conversando com os organizadores, descobri que isso é algo que, há alguns anos, era bem comum aqui na Europa: congressos de missões na virada do ano, onde milhares de jovens se reuniam para ouvir preleções de missionários das mais diversas organizações. E assim, vivenciando algo inédito, passamos a virada de ano no Centro Bíblico de Esmoriz, norte de Portugal, com mais 60 jovens batistas interessados em missões. Não conhecíamos muitos deles, mas Cristo nos faz uma só família.

Nossa participação foi, para nós, igualmente peculiar: após a última mensagem de 2015, pelo Pr. Téo Cavaco, da Igreja Baptista de Braga, e após 15 minutos de oração pelos continentes, e após a contagem regressiva (decrescente, como dizem por aqui), fui incumbido de realizar um concerto. O primeiro do ano. E lá fomos nós, tocar 10 canções em meio à lareira, árvore de natal, crianças, almofadões e rabanadas. Eis aí em baixo um vídeo que não me deixa mentir.

Mas antes do ano novo, passamos o natal e alguns dias com o Pr. Dinê, sua esposa Rose e Ana Clara, a filha deles. Foram dias alegres e de renovação para nós.

Com isso, nossa temporada no Norte de Portugal se encerra. Na próxima sexta-feira iremos para Lisboa, viver nossos últimos dias por aqui. E pela graça de Deus, teremos ainda outras oportunidades de servir as Igrejas de lá.

Continuem em oração por nós. Temos visto Deus falar conosco, e temos sentido como é bom ser instrumentos Dele para o estabelecimento de Seu Reino na terra.

Um abraço!

Eduardo e Eline Mano

Velhas Verdades em Portugal, 04

12248188_1101368219876072_3645318769282943073_o

Este nosso tempo em Portugal serviu para reafirmar algumas coisas que estavam em meu coração há tempos, mas que por diversos motivos acabaram perdendo a força. E esse novo vigor veio, em primeiro lugar, pela Graça de Deus. Em segundo lugar, veio pelo encontro – finalmente – de alguns amigos já antigos, mas que só conhecia pela internet. E o primeiro deles é o Tiago Cavaco.

A primeira vez que ouvi falar do Cavaco foi em 2008, e ele ainda atendia pela alcunha artística Tiago Guillul. Foi algo transformador para mim. Ouvir um músico português, reformado, que aspirava o ministério, criador do próprio selo e referência em seu país, foi algo que me deixou atordoado. Tentei consumir o que conseguia a seu respeito: busquei entrevistas em sites, músicas no youtube, tentei baixar – e consegui – seus discos de forma ilegal (essa é uma confissão que apenas agora ele saberá). Tudo o que lia e ouvia a seu respeito me deixava admirado.

Descobri seu blog e tornei-me leitor assíduo. Descobri que ele tinha um email, e escrevi. Para minha surpresa, ele respondeu. Daí iniciamos uma amizade que tinha a internet por base. De lá para cá, fiz uma participação em seu disco de 2012 (Amamos Duvall, na faixa Dança como David) e convidei-o a participar e produzir um trabalho meu (ainda por concluirmos esta parte). E então viemos para cá.

Logo que soubemos que viríamos para cá, dando continuidade aos estudos de Eline, pensamos que deveríamos “redimir” esta viagem, e nos propusemos a servir como missionários em Portugal, junto às igrejas que abrissem as portas para nos receber. Disso vocês já sabem. A primeira pessoa com quem fizemos contato para tanto foi com o Cavaco, e como nossas passagens de entrada no país seriam por Lisboa, ele e sua esposa, Ana Rute, nos receberam em sua casa nos primeiros dias.

Uma nota pessoal. Conhecer os Cavaco foi, para mim, uma realização pessoal, tamanha a influência que eles (sim, o casal Tiago e Ana Rute) têm em minha vida. A forma como criam seus filhos, o empenho no ministério eclesiástico, a vida que mais se assemelha a uma doxologia. Eu já os amava antes mesmo de vê-los.

Infelizmente por conta da distância (eu e Eline estamos no Porto, norte de Portugal, e eles em Lisboa), foram poucos os momentos em que estivemos juntos, mas todos muito proveitosos. Tanto que o último foi um dos pontos altos da minha “carreira” musical. Contarei esse momento.

O Cavaco tem se destacado não apenas como músico e pastor, mas também como escritor. No ano passado lançou seu primeiro livro, sobre casamentos, e este ano já lançou mais dois: um como organizador e escritor e outro baseado em uma série de sermões que pregou.

Para o lançamento deste último livro, ele veio a Gaia (cidade vizinha ao Porto, ligada pelo metrô), e, óbvio, eu e Eline fomos. Conversando sobre a possibilidade de nos vermos, ele me convidou para cantar algumas músicas com ele durante o lançamento. Óbvio que aceitei. O problema é que eu precisava conseguir um violão. O que eu não consegui. Comuniquei a ele por email e nos conformamos com a possibilidade de um abraço.

Chegando no shopping onde seria o lançamento – que teve um outro ponto alto, já que pude conhecer outro português da internet, o Jorge Oliveira – pudemos conversar por alguns minutos antes que ele tivesse que ir para a mesa da entrevista. Estava muito feliz só de estar ali. O Tiago é um cara gente fina e tê-lo como amigo é realmente um privilégio. Ouvir algumas das linhas do livro na voz do Jorge e ver como um pastor batista, marido, pai de quatro filhos e músico punk é tão relevante para o cristianismo em Portugal foi uma inspiração.

E então ele foi para o violão, e começou a tocar os primeiros acordes de Igrejas Cheias ao Domingo (do disco que ele lançou em 2008, que me levou a conhecê-lo). E isso aconteceu (assista o vídeo abaixo).

igrejas cheias ao domingo from rute carla on Vimeo.

Não preciso dizer que foi um momento épico para mim. Coisas que Deus concede que são graça pura. E força para continuar algumas coisas.

Iniciei o texto dizendo que algumas coisas foram reafirmadas. Uma delas é o Velhas Verdades Discos. Nunca falamos abertamente nisso, mas em conversas com o Diego e com o Rafael, chegamos a anunciar entre nós o fim do selo. E isso caminhava para ser o futuro mesmo: apenas uma ideia que foi legal, mas nada além. Esse tempo aqui em Portugal tem servido para mostrar que o selo é importante, e deve continuar. Portanto, em 2016 vocês devem ouvir falar dele ainda.

Se você é um dos 5 que conseguiu terminar de ler este texto, obrigado. Ore por mim e por Eline, e pelo ministério que Deus nos tem dado. ore também pelo Tiago e pela Ana Rute, por seus filhos, pela Igreja Baptista da Lapa e por tudo o que está em suas mãos. Eles são queridos, tementes a Deus, e certamente o trabalho deles em Portugal não é em vão. Na verdade, todos os trabalhos que temos conhecido aqui, nenhum é em vão. Ore pelos que semeiam e colhem em Portugal.

Um abraço!

Eduardo e Eline Mano

Velhas Verdades em Portugal, 03

Pois decidi nada saber entre vocês, a não ser Jesus Cristo, e este, crucificado. 1 Coríntios 2:2

Desde que assumi o Velhas Verdades como o nome do ministério que levaria para frente, pensei que o texto acima era mais que ideal para refletir o propósito de se ter um ministério baseado na Palavra de Deus e que fosse trabalhar com música e missões. E tenho visto que Deus já provou, mais de uma vez, que este caminho é acertado.

Nas duas últimas semanas eu e Eline aproveitamos os baixos preços de passagens aéreas aqui pela Europa e fomos visitar alguns amigos, ministérios e igrejas em países próximos. Neste relatório, gostaria de destacar dois momentos.

Estivemos em Paris visitando o pastor Gustavo Faleiro, que em alguns dias retornará ao Brasil mas que mantém um trabalho muito importante na cidade. Pudemos conversar e partir do pão com ele, sua esposa Dalila e filhos. Soubemos sobre o trabalho que eles têm empreendido na cidade e de como toda a situação dos atentados se formou. Nosso sentimento enquanto andávamos pelo metrô e trens da cidade, bem como nas ruas, era de um povo desesperançado. Infelizmente, quando falamos sobre isso com eles, soubemos que este é o clima geral da cidade, e não só por causa dos atentados. Infelizmente há muitos suicídios, descaso de filhos em relação aos pais e dificuldade em aceitar uma mão estendida em ajuda. Ore pela Église Bonne Nouvelle, que permanece firme enquanto eles estiverem de volta ao Brasil, e também pela Missão França, que visa a pregação do Evangelho no país.

Estivemos também na cidade de Milão, onde fomos acolhidos pelo casal Ângela e Osiel, líderes da Chiesa Cristiana Evangelica Battista di Milano. A igreja, liderada por brasileiros e italianos, mas de fala italiana, tem sido um farol na cidade, e tem a simpatia de muitas pessoas que estão próximas a ela, mesmo não cristãos. Através de um amigo em comum, o pastor André Aguiar, pudemos servir a estes irmãos trazendo a palavra e o louvor durante um final de semana. O carinho com o qual fomos recebidos nos constrangeu. Brasileiros e italianos, de igual forma, foram muito amáveis e receptivos, mesmo que a língua fosse uma barreira. Chegamos a traduzir, com a ajuda do pastor André, três de nossas músicas (Mais Chegado que um Irmão, Como Ninguém me Conheces e Tu és Deus), mas não tivemos tempo para utilizá-las. Mas nada impede que as utilizemos no futuro. Ore pelos irmãos em Milão e por tudo aquilo que Deus tem reservado para eles no próximo ano.

O casal Ângela e Osiel, que plantou e hoje lidera, junto a outros irmãos, a Igreja Evangélica Batista de Milão

O casal Ângela e Osiel, que plantou e hoje lidera, junto a outros irmãos, a Igreja Evangélica Batista de Milão

Voltando um pouco no tempo, no final de semana anterior à nossa viagem, estivemos na cidade de Guimarães, um pouco mais ao norte de Portugal, distante 1 hora (de trem) do Porto. Passamos o final de semana com o pastor Dinê Lóta, missionário da Junta de Missões Mundiais da CBB, e com sua esposa Rose e linda filhinha, Ana Clara. Dinê e eu estudamos juntos há quase 20 anos no colégio, e pela graça de Deus podemos estar novamente juntos em terras portuguesas. Em Guimarães, participamos do aniversário da congregação que ele pastoreia, filha da Igreja Baptista de Braga. Possivelmente estaremos juntos novamente, ainda em dezembro. Ore pelo pastor Dinê e sua família, bem como sua igreja. Guimarães é uma cidade fantástica, e Portugal é um país carente do Evangelho.

Dezembro e janeiro nos reservam muito trabalho, peço que orem por nós. Em breve escreverei mais um pouco sobre o que temos pela frente.

Um forte abraço a todos!

Eduardo e Eline Mano

Velhas Verdades em Portugal, 02

Uma das boa práticas de tentar escrever com um pouco mais de frequência sobre como tem sido nossa caminhada em Portugal é a possibilidade de escrever com mais regularidade no blog, algo que eu perdi ao longo dos anos.

Já se passaram alguns dias desde que escrevi o primeiro post de nossa temporada aqui. Infelizmente, naquilo que nos propusemos, que é ajudar as igrejas daqui naquilo que fosse necessário (seja com a música, palavra, ou mesmo estando junto), nada foi muito além de algumas conversas iniciais. Um bom momento foi um café da manhã com um pastor brasileiro que está aqui há alguns meses, e nos dias 15 e 16 estaremos na igreja deles. Fora isso, apenas conversas sem muita continuidade.

Cremos que Deus tem Seus propósitos, que são eternos e inabaláveis. Se Ele ainda tiver outras portas para que ajudemos, sei que Ele vai indicar. Enquanto isso, esperamos, oramos e estamos atentos.

Mas nem tudo é “tristeza”. Além da boa notícia de estarmos com amigos no mês que vem, há mais coisas boas. Em primeiro lugar, decidimos que enquanto estivermos no Porto, caso não tenhamos nenhum compromisso em outro lugar, participaremos dos cultos da PIB do Porto, uma boa igreja, com boa teologia, pastoreada por um brasileiro. Gostamos de estar lá, a Palavra foi pregada, então entendemos que seria um bom lugar para nosso proveito espiritual. Que Deus nos conceda amizades por lá.

PIB do Porto - Tabernáculo Baptista

PIB do Porto – Tabernáculo Baptista

Além disso, começamos algumas conversas com dois amigos de Lisboa sobre uma outra possibilidade ministerial no tempo em que estivermos aqui, mas como ainda precisamos ajustar algumas coisas, peço apenas as orações dos amigos a respeito disso.

Deus é bom e Sua misericórdia, eterna. Sentimos Sua poderosa mão no fato de sermos queridos por amigos aqui, amigos que nos conheceram há tão pouco tempo, e também por sabermos que há gente orando por nós no Brasil. Isso nos conforta e nos dá forças.

7 – Somente seja forte e muito corajoso! Tenha o cuidado de obedecer a toda a lei que o meu servo Moisés lhe ordenou; não se desvie dela, nem para a direita nem para a esquerda, para que você seja bem sucedido por onde quer que andar.

8 – Não deixe de falar as palavras deste Livro da Lei e de meditar nelas de dia e de noite, para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito. Só então os seus caminhos prosperarão e você será bem sucedido.

9 – Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem se desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar”.

Josué 1:7-9

Que estas palavras nos fortaleçam, não apenas para o trabalho aqui, mas a todos quantos têm a certeza de que Deus detém o controle completo sobre suas vidas.

A Ele toda glória!

SDG