Distrações e o trabalho para a Glória de Deus (ou Como o FIFA Mobile roubou meu tempo)

Recentemente comecei a refletir sobre aquilo que consideramos como “tempo livre”. Quando você é pai, tempo livre se torna um conceito bem abstrato. Minha esposa que o diga. Encontrar algum momento onde possamos distrair nossa mente daquilo que tentamos equilibra ao longo do dia parece algo inimaginável. Tempo livre, muitas vezes, é o que chamamos os poucos minutos que temos desde o momento em que nossa filha dorme até o momento em que nós vamos dormir.

Além disso, como designer autônomo, após passar o dia no trabalho muitas vezes chego em casa para o 2º tempo: projetos de clientes particulares ou pequenos freelances que preciso entregar. Eu não deveria dar muito espaço às distrações, mas infelizmente elas roubam minha atenção mais do que deveriam.

Uma das minhas distrações prediletas é o futebol. Além de acompanhar o time pelo qual eu torço, acompanho os campeonatos internacionais e o mercado de jogadores. Creio que esta até seja uma distração saudável, não gasto muito tempo com isso além de assistir às partidas televisionadas e ler alguns artigos. Mas há algo relacionado a este universo que realmente rouba meu tempo. Jogos de futebol.

Não tenho nenhum video-game. O último console que tive foi o Playstation 2, comprado usado por R$150,00 com 30 jogos e vendido pelos mesmos R$150,00 alguns meses depois. Isso em 2012. Mas a franquia FIFA Soccer sempre foi minha favorita, e tive as versões mobile desde o primeiro lançamento para Android, o FIFA 13. De lá para cá foram horas e horas gastas no jogo. Mas a coisa piorou no ano passado.

8 dias após o nascimento da minha filha, foi lançada a última versão do jogo, o FIFA Mobile. É um jogo realmente viciante. Além da aquisição de jogadores para montar o time dos sonhos, há ainda a disputa por pontos e prêmios que te obrigam a gastar tempo no jogo diariamente. E era o que eu estava fazendo. O jogo roubou meu rendimento no trabalho em casa, roubou horas de sono, roubou até meu tempo com Deus. Passava mais tempo jogando do que lendo a Bíblia nestes últimos meses. Fazia intervalos à noite, enquanto trabalhava, para jogar “apenas uma ou duas partidas”, e perdia 30, 40 minutos no jogo. Tempo que não volta, leituras que não voltam, sono que não volta.

Há alguns dias entendi que esta distração estava me impedindo de viver e trabalhar para a Glória de Deus plenamente. O jogo em si não é mal – futebol não é mal! Mas a forma como este aplicativo consumia meu tempo, isso era mal. Tornou-se um vício. Decidi apagar o aplicativo para ter menos distrações e mais tempo produtivo com aquilo que importa. Compor, tempo devocional, escrever, trabalhar com mais foco, dormir um pouco mais. Mesmo que o jogo nunca tenha roubado meu tempo com minha esposa e filha, ele roubava meu tempo com Deus, o que ainda mais grave. Se eu só posso ser um marido e pai correto através da entrega irrestrita da minha vida ao senhorio de Cristo, como posso negligenciar meu tempo com Ele?

Um texto que sempre me impactou é o Salmo 127. Tanto que escrevi uma música tendo ele como base. Mas passando da parte da edificação da casa, tem algo que é muito especial e que sempre teve um gosto agridoce para mim: o verso 2. “É inútil que madrugueis, que tarde repouseis, Que comais o pão de dores: Aos seus amados ele o dá enquanto dormem.” Deus valoriza muito o descanso (o relato bíblico da criação nos ensina isso de forma estupenda) e o sono. Os Salmos 3, 4 e 127 deixam isso bem claro, mas o 127.2 é especial. E sinto que, ao estender meu dia e reduzir meu sono, estou perdendo algo muito grande, seja o descanso ou aquilo que Deus quiser dar.

Distrações não são necessariamente más. Mas somos responsáveis pela forma como as utilizamos, pelo tempo que empregamos em coisas fúteis. Assistir a um jogo do time que torcemos não é algo necessariamente ruim, mas não tenha dúvida: deixar de passar tempo com Deus para gastar com jogos, é. O mundo não entende isso, mas é. E nós, adultos, que cremos sermos senhores do nosso tempo, somos responsáveis pela forma como o gastamos. Deus é infinitamente melhor do que montar um time com Reus na ponta esquerda, Hazard no ataque e Di María na ponta direita.

Pôsteres – Download Grátis

posteres

Muitas pessoas ainda perguntam a respeito dos pôsteres, e eu fico sem saber como responder a isso. A administração da impressão / envio é complicada e demandaria mais tempo meu. Por isso, decidi fazer algo que, creio, vai agradar aos amigos: vou disponibilizar gratuitamente as artes em alta resolução para que aqueles que quiserem, possam imprimir em sua cidade. Basta ir na aba Downloads aí no topo (ou clicar aqui) e você será direcionado para a página das artes.

Para baixar os arquivos, clique na miniatura e o download terá início. Há duas formas de isso acontecer: ou o arquivo jpg irá baixar automaticamente no seu browser, ou a imagem irá carregar na tela. Neste caso, basta clicar com o botão direito do mouse e escolher “salvar a imagem como”. O resto você já sabe. Todos os arquivos estarão em RGB, 300DPI e no tamanho 31 x 45 cm (super A3). Basta levar numa gráfica rápida, escolher o papel da sua preferência e mandar imprimir.

Você pode baixar os arquivos gratuitamente mas caso queira contribuir com o ministério, fique à vontade para enviar uma oferta de amor. Basta me mandar um email (clicando aqui) e a gente vê isso. É isso amigos. Em breve teremos mais artes para download.

Um abraço, Mano

Velhas Verdades Discos

banner

Hoje foi um dia muito especial. Eu, o Diego Marins e o Rafael Porto lançamos, em conjunto, o Velhas Verdades Discos. Um selo que por enquanto funciona na Web, mas que se Deus permitir, vai longe.

Escrevi um texto pelo lançamento do selo, que reproduzo abaixo. Se você for até o nosso site verá que ontem mesmo já lançamos novos singles do Diego e do Rafael, um em áudio e um em vídeo.

Além disso, tivemos o apoio do Ricardo e de seu novo empreendimento, o Catavento, que escreveu uma matéria exclusiva sobre o lançamento do selo.

Bom, são  muitas coisas boas. E sem mais delongas, entenda o que está por trás do Velhas Verdades Discos:

Música à serviço da Igreja

A Igreja já possui músicas demais. E ainda precisa de muitas músicas.

Quando pensamos na quantidade de músicas que compõem o cancioneiro evangélico atual, nos perguntamos se é realmente de mais músicas que a Igreja precisa. A cada ano um sem-número de CDs é lançado por artistas que lutam entre si por uma fatia do “mercado”. O problema é que, justamente por lutarem por uma fatia de “mercado”, erram feio ao não atingirem a função para a qual deveriam ter gravado seus trabalhos em primeiro lugar: servir a Igreja.

E assim, mesmo que a igreja já tenha músicas demais, ela ainda precisa de mais músicas – desde que elas cumpram seu propósito. Mas qual seria este propósito? Como disse acima, creio que a função principal seja servir a Igreja, ao compor textos para a adoração coletiva a Deus. Mas há ainda outras funções – estas secundárias – às quais ela deveria prestar, como por exemplo o ensino e transmissão de doutrina, a reflexão pessoal e encorajamento na fé, o fortalecer a comunhão, dentre outras. A Igreja precisa de mais músicas assim, que a sirvam bem.

A Igreja também precisa de mais músicas que glorifiquem a Deus intencionalmente. É ótimo que existam canções que, nascendo de um ambiente de fé cristã, circulem em locais onde a crença talvez até exista, mas de forma sincrética ou heterodoxa. O problema é que muitas vezes uma mensagem camaleônica se molda ao meio em que circula e se enche de ruídos, perdendo assim seu contexto original ou podendo ser interpretada de outras formas que não a imaginada pelo artista que a criou. Sendo assim, a Igreja precisa de mais músicas que intencionalmente falam a respeito de Deus, sua glória e domínio sobre tudo, inclusive a cultura. Que fale das boas novas de Cristo e de Seu Reino. Verdades eternas.

E é por isso que o Velhas Verdades Discos nasceu. Há três anos, quando escrevi as linhas “quero falar das velhas verdades, pois o novo, às vezes, soa estranho demais. Quero ouvir as verdades eternas, boas novas que não perdem o frescor”, não sabia que estava escrevendo uma declaração de ministério. Hoje vejo isso com clareza. Meu papel como músico e ministro é fazer com que a Verdade de Deus resplandeça, e que as melodias e harmonias que criamos sirvam às letras – estas sim as protagonistas – das músicas. E para isso, temos uma posição firme quanto à distribuição gratuita de nosso material. Tudo o que gravarmos, ontem, hoje e amanhã, será distribuido de graça na internet. Mateus 10 é nosso princípio, sendo o verso 8 nossa motivação: “vocês receberam de graça, deem também de graça”.

Este não é um trabalho para um homem só. Por isso junto ao Diego Marins (um músico fantástico, que tem um excelente trabalho solo, além de integrar as bandas Interlúdio e Zoe Trio) e ao Rafael Porto (possivelmente um dos melhores compositores cristãos do Brasil, líder da banda Alforria, e agora em trabalho solo), pensamos em uma forma de unirmos nossas forças para algo além de nossos próprios trabalhos, e assim servirmos com maior intencionalidade à Igreja de Cristo.

Este é um trabalho em andamento. O início de uma jornada.

Você, que está lendo este texto, pode nos ajudar de algumas formas:

Divulgue o Velhas Verdades Discoscurta nossa página no Facebook, acompanhe nossas postagens, baixe nossos discos, assista nossos vídeos, compartilhe os links com seus amigos. Queremos chegar ao maior número de pessoas possível, e contamos com sua ajuda para isso.

Quando possível e viável, adquira nossos discos – Como escrevi acima, você pode, e deve, baixar tudo o que lançarmos de forma gratuita. Mas também disponibilizaremos a opção de adquirir os discos na forma física, a preços sempre acessíveis. Quando gostar de um trabalho, adquira-o. Isso é um incentivo e uma ajuda para continuarmos lançando mais material.

Acima de tudo, ore por nós – como enfatizamos, este é um trabalho para a Igreja. Ore para que o Senhor nos auxilie através de Seu Espírito Santo no serviço de levar a Boa Nova de Jesus Cristo aos que dele precisam.

Deus nos abençoe!

Eduardo Mano, com Diego Marins e Rafael Porto

novidades – Guarda o Teu Coração

Olá amigos. Mais um post por aqui. Parece que entrei de vez no modo de escrita, espero não sair dele.]

Hoje pela manhã u soltei no facebook a capa do Guarda o Teu Coração. Segue aí para os que não viram ainda:

Além disso, recentemente postei um vídeo sobre a produção do disco, os equipamentos, instrumentos, essas coisas. Caso interessem dê uma olhada nele aí em baixo:

Por hoje, é só. Um update rápido e rasteiro, apenas. Espero que o disco e tudo isso sejam benção na vida de vocês.

Um abraço,

Eduardo Mano

Camisas "Sem Fé", pela Virá

Como eu falei aqui neste post, os amigos da Virá aprontaram a camisa baseada no poster que o Renan Valadares fez da música Sem Fé. Para vocês verem que não era mentira minha, que a palavra do crente tem que ser sim, sim, não, não, eu nem postei a notícia ontem, 1º de abril. 🙂

Bom, se você quer saber como elas ficaram, dá uma olhada nas fotos abaixo. A marrom é para o time dos meninos e a branca é para o time das meninas. 🙂

Eu estou (claro) muito feliz com o lançamento, mas quero que todos entendam uma coisa: tudo que for feito pela gente, ou pelos amigos que Deus tem muito graciosamente colocado em nosso caminho, não é para exaltar a nós mesmos. É para que o Nome de Cristo seja exaltado. “Mas Cristo pode ser exaltado através de uma camisa?” Depende. Se você veste a camisa apenas pela beleza dela, não. Mas se ela reflete algo interno, algo que foi mudado pelo poder do Espírito Santo, e ousar a camisa (qualquer camisa, entenda) é apenas uma externalização em forma de arte e moda, então creio que sim. Caso alguém entre em debates por causa da mensagem, lembre-se do post onde explico e dou a base bíblica para a música (post aqui) e seja feliz. 🙂

A Cristo, e só a Ele, toda honra e glória.

Um forte abraço!

Eduardo

A capa do EP Mais Vale um Dia Vale Mais

E aí está a capa do nosso novo EP.

A arte foi desenvolvida pelo Josué, tecladista da banda, que assim como eu, o Josafá e o Binho, é designer. Além disso, ele é o cara por trás da uanabi, e já desenvolveu trabalhos para gente como Deigma Marques, Chris Duran, dentre outros.

Ficamos muito satisfeitos com a arte e ela dá bem o toque “dia a dia” que o processo pedia.

Esta postagem é uma forma de atualizar vocês de todo o processo, e também de agradecer por todo apoio e carinho que temos recebido no Facebook e no Twitter. Continuem orando pela gente! 🙂

O EP deve sair na segunda quinzena de novembro. Esperamos.

Um forte abraço,

Eduardo, Josué, Josafá, Jônatas e Fábio.

Pôsteres – Lançamento

Eis que eles chegaram. Depois de muito falatório, finalmente os pôsteres estão à venda. Você pode comprá-los aqui!

São 4 modelos, como já falamos. Para vê-los individualmente, basta clicar nas imagens abaixo.

Estamos muito felizes, como já disse no vídeo acima, por mais este passo dado.

Para saber mais sobre os designers que participaram desta primeira leva de artes, siga-os no twitter ou acesse seus portfólios:

SEM FÉ – Renan Valadares@renanvaladares

QUARTOS VAGOS – Guilherme Menga@guimenga

TU ÉS DEUS – Josué Ribeiro@josueldribeiro

REINAS SOBERANO – Eduardo Mano@eduardomano

Esperamos que vocês gostem, e também que, quem puder, adquira as artes. 🙂 Para mais informações sobre valores e tudo mais, acesse o link da loja, lá em cima do post.

Um abraço,

Eduardo Mano