Algo ou Alguém?

algo_alguem

Tenho pensado muito na forma como diversas pessoas da minha geração têm tratado a Igreja. Alguns dizem que a Igreja está suja, outros que ela está vendida, e outros ainda que ela não é “de Cristo”.

Para mim, a questão é a seguinte: estamos falando a respeito do quê? Estamos falando de nossas igrejas locais ou estamos falando da Igreja em um âmbito mais generalista? Pois há uma diferença, e não apenas isso, possivelmente há uma retratação a ser feita.

A Igreja como Algo

É possível que, ao tornar públicas as críticas à igreja, algumas pessoas estejam falando de suas comunidades locais, ou de comunidades que conheçam. É possível que estejam falando da equipe que pastoreia e administra a igreja x, y ou z. Há essa possibilidade, é claro. E nesse caso, estamos tratando a igreja como algo, e algo que está, de fato, nas mãos de homens.

Creio que a crítica nesse caso é válida, e deve ser acompanhada de ação e oração. Especialmente se você faz parte de uma comunidade pequena. A ação, em comunidades grandes, fica um pouco mais complicada. Mas se a igreja local, a comunidade, não estiver embasada nos princípios bíblicos de amor a Deus e ao próximo (uma igreja que adora a Deus e que serve ao mundo), então há algo cronicamente errado.

Muito mais do que criticar abertamente as igrejas por seus erros, é necessário que sejamos agentes de mudança. Assim como é nossa responsabilidade levar a mensagem do amor, misericórdia e da justiça de Cristo, precisamos trazer mudança (ou um retorno à suficiência de Cristo e da Palavra de Deus) à igreja. E isso nós podemos fazer orando e trabalhando (em uma adaptação livre da forma de hermenêutica aplicada por Calvino).

A Igreja como Alguém

Existe uma abordagem mais grave para a questão, e é quando tratamos a Igreja como alguém. Creio que essa é a interpretação com mais respaldo bíblico, em especial quando vemos a forma como Paulo aborda a questões das partes de um corpo (1 Coríntios 12.12-27) e também a questão do relacionamento homem-mulher, comparando-o ao relacionamento de Cristo com a Igreja (Efésios 5.22-33).

É justamente esse ponto que gostaria de utilizar.

Eu particularmente não creio que as referências a um futuro casamento de Cristo com Sua Igreja sejam alegorias, mitos. Há referências demais para negarmos isso. Cristo um dia deu Sua vida pela Igreja e nós, por isso, aguardamos Sua vinda, pois sabemos que só Ele satisfaz nossas vidas.

Para mim, o grande problema de criticar e maldizer a Igreja enquanto noiva de Cristo está justamente no fato de estarmos mexendo com a noiva de alguém. Nosso Deus é extremamente zeloso, assim como qualquer marido de bom senso, que ama e deseja sua esposa. Qualquer um de nós, homens, sabendo que nossa amada foi alvo de críticas e xingamentos não permitiria que isso continuasse impunemente. Qualquer marido que ama sua esposa não agüentaria vê-la sendo difamada publicamente sem tomar providências extremas.

Se nós agimos assim por amor, não duvido que também Deus vá, a Seu tempo, cobrar, de acordo com Sua justiça, daqueles que displicentemente desonraram Sua noiva.

Não quero com isso apresentar uma visão fatalista ou desanimadora. A questão é que a gente pinta Deus como um Deus misericordioso e amoroso (o que é completamente verdadeiro) e nos esquecemos que ao mesmo tempo Ele é justo e zeloso (o que é igualmente verdadeiro).

Só para citar o músico Derek Webb em uma das letras do seu primeiro disco solo, não dá para dizer que amamos a Cristo se não amamos a Igreja.

Naquele que morreu para sejamos um,

Eduardo

Advertisements

5 thoughts on “Algo ou Alguém?

  1. É cara, tanta gente critica, mas quase ninguém move um dedo pra mudar o quadro…
    Penso que temos que ter cuidado ao lidar com a igreja como noiva sim, e por isso não podemos nos calar ao ver certas bizarrices se vestindo de noivas, mas que não passam de “paródias” que se levam a sério (ou não).
    Muito bom o texto. Precisamos de zelo para identificar o que não tá funcionando e agir. Pra mim essas duas ações andam juntas.

  2. Querido Duda!
    Tenho lido/ouvido muita coisa sobre igreja há 25 anos. Muita crítica e pouca ação. Erros e enganos fazem parte da nossa caminhada cristã desde o dia em que Jesus deixou a turma e delegou a sua liderança aos 11 (12) apóstolos. Já no livro de Atos fica claro uma série de desalinhamento com a proposta de Jesus (Atos 15) Hoje é apenas uma variação do mesmo tema. Vejo muita gente falando mal da igreja (instituição) mas criando ambientes alternativos pois não querem se submeter a ninguém, logo, se apresentam como liderança emergente, mas na verdade, é um bando de gente que percisava de palmadas e mamadeiras. São ótimos teóricos, mas péssimos agentes de transformação. São ótimos questionadores do “sistema” mas, caminha com esses caras, e logo vc verá uma turma chata, que até o presente tempo, não conseguiu construir relacionamentos sádios e sérios com ninguém. Já me cancei de ouvir muita falação encharcada de discurso emergenet/punk/newwave, mas na hora H, os caras são um bando de garotos(as) mimados(as). Completo esse anos 9 anos na presidência da Nave Cosmorama. É ralação todo dia meu brother. Não tem moleza, hoje temos uma comunidade formada por: discipulos, visitantes e clientes. A minha pequena congregação (270 membros) é um mosaico de tantas outras comunidades cristãs. Enfim…o tempo que eu levei falando mal da igreja, me levou ao ministério pastoral, para ralar, trabalhar e no final da jornada perceber, que essa luta não é para teóricos mas para quem tem pegada, é coisa para macho. Coloca esses críticos na linha de frente de uma congregação, logo, logo, vc verá como esses caras são. Tira eles dos seus ambientes literátios e os coloque diante de ações concretas e sérias, logo, logo, vc verá essa moçada arrumando desculpas mil. Sem falar que: PRECISAMOS DE AÇÕES DIRETAS FORA DO EIXO: TEMPLO+DOMINGO+PÚLPITO+CLERO; e nesse quesito vc percebe que essa meninada não tem fibra meu caro Duda!
    Enfim…falei/escrevi bastante, mas é porque eu também encontro sempre um punhado de meninos(as) sem o mínimo de atitude em relação a vida, tentando reinventar o cristianismo com um banquinho/violão…fala sério!
    Abrs! Peace!

    • Jota, quam acompanha seus posts no seu blog sabe que a sua frase não se aplica. Quem manda aqui, e certamente com muito mais relevância na maioria das vezes, é vc amigo!

      Pena que não nos encontramos aqui, hein… 😦

  3. No meio de tanta gente decepcionada e frustada com a igreja, é difícil encontrar alguém que consiga enxergar o que é a Igreja (com “I” maiúsculo), a coisa mais preciosa que existe sobre a Terra. Vale apena gastar e se deixar gastar pela Igreja (2 Coríntios 12:15), uma vez que ela é a família do Pai, o Corpo e a Noiva do Filho, o santuário do Espírito. Antes de falar mal da Igreja, deveríamos atentar para o que Paulo disse: “Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”(1 Coríntios 3:17).

    Eduardo, teu texto está muito bom.Que Deus siga te abençoando.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s