Como foi em Santos

Algumas pessoas me perguntaram como foi em Santos, com a galera do Sacrifício Vivo. Foi ótimo. Todos os momentos em Santos e São Vicente foram espetaculares, menos a ida embora. 😉

Chegamos na madrugada de sábado após uma longa viagem que começou na sexta às 15h. Muito trânsito no Rio, muita chuva em São Paulo e pouco combustível na descida da Imigrantes. A coisa foi tão bizarra que em uma das paradas, encontramos meu cunhado, que ia para São Paulo. Agora pare e pense: dos quase 400 Km que separam o Rio de São Paulo, das centenas (sim, centenas) de opções de paradas, e da quantidade de minutos e horas que tem o dia, chegamos à mesma parada quase juntos.

Enfim, chegamos a Santos cansados e moídos. Jantamos na casa dos pais do Helder, vocalista, tecladista e líder da Sacrifício Vivo e depois fomos, eu e Eline, para nossa “pousada” na cidade: a casa da dona Clara e do Júnior. Falarei mais deles depois.

Sábado foi dia de acordar tarde, almoçar e ir direto para a Igreja, onde seria o lançamento do CD. Eline acabou ficando um pouco mais em casa, descansando. Passamos as músicas da noite (eu cantaria duas músicas da banda com eles, e eu abriria a noite tocando duas músicas minhas, acompanhado por eles) e nos preparamos para o que viria depois. Fiz um vídeo, espero que vocês gostem.

Como ficou bem claro na música Maiores Mandamentos, eu não tenho a menor idéia do que fazer quando canto sem o violão. Grato.

No domingo o pessoal da banda foi gracioso e me acompanhou em dois compromissos, nas igrejas batistas de Marapé e de Nova Cintra. Momentos muito bons, com boas palavras. E ainda pudemos, eu e Eline, encontrar uma amiga nossa, membro da PIB em São Vicente.

O povo da baixada santista é MUITO gente boa. Quero fazer uma menção especialíssima aqui a nossos anfitriões, dona Clara e Júnior. Fomos extremamente bem acolhidos em sua casa, tivemos excelentes conversas e sabemos que ganhamos mais amigos longe de casa, gente que mal entramos no carro é já temos saudades. Deus os abençoe sobremaneira.

Também tenho muito a agradecer ao pessoal da banda, que fez o convite e agitou tudo para que tivéssemos um tempo fantástico por lá. O cansaço valeu a pena.

Agora, fiquem com algumas fotos. 🙂

Em tempo: a barba e o cabelo se foram.

abraço!

Eduardo Mano

Advertisements

5 thoughts on “Como foi em Santos

  1. Como eu fui só tecladista a vida toda, eu só consigo cantar à frente do Alforria com o pedestal. Sem algo para ocupar as mãos, fico igual a uma criança!
    hehehehhe

    Mas pô, o cabelo tava lixo, mas a barba tava estilo!
    🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s