O carinho de Tiago Lacrau

Tiago Lacrau é o mesmo que Tiago Guillul, que é o mesmo que Tiago Cavaco.

Tiago e Os Lacraus foram entrevistados para o site de cultura pop brasileiro Scream and Yell (link na hora certa) e ao responder a fatídica pergunta sobre a música brasileira, não tiveram a mínima vergonha e esbanjaram um pouco de carinho a este distante rapaz brasileiro que vos fala.

Se você clicar na imagem, vai até a matéria, beleza?

Cavaco, sei que lês este espaço de tempos em tempos (ou quando a Ana lhe avisa de algo interessante), então fica aqui registrado meu agradecimento. 🙂

E a vocês, amigos, semana que vem devo dar algumas notícias musicais.

abraços e feliz natal!

Eduardo Mano

em Santos

Hoje estou em Santos. Após uma viagem de 7 horas, com direito a motorista do ônibus cansado, cheguei à cidade e fui mais que bem recebido pelo pessoal da Primeira Igreja Presbiteriana de Santos. Após um belo café e um excelente papo com o jovem Pr. Diego Werner, fui repor o sono não dormido à noite.

Como eu precisava comprar cordas, fomos até uma loja de instrumentos antes do almoço. Uma loja bem legal. Daquelas que vendem  material dos Beatles (palhetas, correias, etc…). Gamei nas palhetas, mas não as levei. Fomos almoçar e, ao final, havia um embrulhinho na minha frente. Quando abri…

…Presente dos “manos” de Santos. 🙂

Agora é esperar a hora do culto da noite, os amigos da Sacrifício Vivo e do Abrigo 7 que vão me ajudar tocando umas músicas e ser feliz.

Tendo fotos, ainda hoje à noite eu as posto.

Um forte abraço,

Eduardo Mano

Why Music Matters

Tropecei nesta campanha em um outro blog e tive que parar por conta do vídeo dos Beatles, que segue agora:

Eu devo ter conhecido os Beatles mais ou menos na mesma idade em que o garoto do vídeo, mas só me apaixonei mesmo aos 19 anos. Das semelhanças, fica o fato de ouvi-los sempre, e de Eline ter entrado em nosso casamento ao som de “And I love Her”. Depois que os conheci de fato, minha vida musical mudou, e muito.

Mas há os outros vídeos da série, em particular o do Iron Maiden (banda que ainda gosto muito – UP THE IRONS):

E do Sigur Rós:

Vale a pena conhecer o projeto Why Music Matters e participar lá, da forma que der.

Bom dia pra você!

Eduardo

Eu mereço

Me incomoda ver crentes utilizando a frase que  dá título a este post no contexto de “sim, eu mereço isso, isso ou aquilo”. Há que se fazer a ênfaze no contexto, pois há ainda outra forma de utilizar a expressão: quando algo dá errado e a pessoa diz o clássico “eu mereço” irônico. Mas estou divagando.

Todos sabem que sou adepto do pensamento que parte do princípio que eu (nós) sou (somos) nada, e aúnica coisa que de fato nós merecemos é a morte.

Eu não creio que nós mesmos sejamos capazes de ver corretamente coisas boas saindo de nossas mãos. Não acho que este filtro deva estar ligado 100% do tempo, pois ele gera uma certa autoconfiança, um sentimento de glória pessoal que é danoso ao espírito. Claro que há coisas que fazemos bem, mas se não nos lembrarmos constantemente que tem gente que é melhor naquilo que nós, acaba que nos julgamos superiores em algo, e daí pra pensar que de fato merecemos algo nesta vida é um pulo. Um pulo ao abismo da insensatez.

É como o cara que se acha tão bom no seu emprego que vai até o chefe pedir um aumento e sai de lá com um belo “você tem muito a aprender ainda”. Isso geralmente acontece com os estagiários. Mas novamente, estou divagando.

Achar que nós merecemos algo é tornar a nós mesmos maiores que os outros, colocar a nós mesmos antes dos outros, julgar-nos mais merecedores de algo que os outros. E olha que coisa… a Bíblia nos diz o contrário: “que é o homem, para que dele Te lembres; e o filho do homem para que o visites?” Mesmo tendo Deus nos dado domínio sobre toda a criação, ainda assim, ao olharmos as obras Dele, não há como não nos lembrarmos de nossa pequenez. Nada somos diante do Senhor.

E daí nos lembramos de Cristo. nada fizemos para merecer Seu sacrifício. Na verdade, pelos nossos frutos, pela nossa vida sem Ele, nós não mereceríamos mesmo! mas que tamanha Graça nos alcançou, e temos vida em Cristo. Glória a Deus por favor tão imerecido!

A Bíblia nos leva e ensina a exercitar a humildade, o desapego, o colocar os outros acima de nós, a servirmos antes de sermos servidos. É sempre um movimento em direção ao próximo e a Deus, e para longe de nosso ego. É o marido que coloca a vontade de sua esposa e filhos antes da própria. O filho que quer de fato servir e agradar aos pais. O líder de louvor que quer servir a Igreja e não a si próprio.

Perceba hoje que aquelas coisas que você tem são dádivas graciosas de Deus a alguém imerecedor. Pense dessa forma e seja grato a Ele pelo Amor, pela Salvação, pelas amizades, pelo sustento, pela paz. O Deus que “supre aos seus amados enquanto dormem” está conosco.

Repito: você eu merecemos, de fato a morte. Mas ganhamos a Vida. Não é formidável?

Um abraço,

Eduardo Mano

Coletânea MPB Santo

É com muita alegria que divulgo aqui a coletânea do blog MPBSanto do amigo (e também designer) Cleber Gossi.

A idéia do CD partiu dele, ao contactar diversos músicos brasileiros independentes (que tocam ritmos que vão da MPB, passando pela música regional e chegam no rock) que ousassem ceder músicas suas para o projeto. Dentre a galera que ousou, estão Alforria, Sacrifício Vivo, Elly Aguiar, Diego Venâncio, Tiago Vianna, Fabinho Silva e o mestre (mesmo!) Carlinhos Veiga, de quem você muito provavelmente já ouviu falar.

Além, é claro, da gente.

Clique na imagem abaixo para irao link do download:

Eis aí o release do lançamento:

Release
É com imensa alegria que o blog MPB Santo lança seu primeiro CD virtual, gratuito para download.
Este projeto tem como objetivo promover o blog MPB Santo que, por sua vez, tem como objetivo ser um canal de divulgação da boa música cristã brasileira.
O CD MPB Santo – Volume 1 foi concebido em parceria com os músicos/bandas: Alann Marino, Alforria, Arlindo Lima, Carlinhos Veiga, Claudio Martos, Diego Venâncio, Eduardo Mano, Elen Lara, Elly Aguiar, Fabinho Silva, Ivan Melo, Joede Cruciti, Nando Padoan, Sacrifício Vivo, Saulo & Renata Calantone e Tiago Vianna.

Ficha técnica
Cada faixa deste CD foi gentilmente cedida para este projeto, sendo gravadas , produzidas, mixadas, produzidas e masterizadas por diferentes profissionais e músicos.
Para maiores detalhes da produção de cada faixa, entre em contato com o respectivo músico/banda.
Arte e design: Cleber Gossi – http://www.gossidesign.com.br/cleber@gossidesign.com.br
Fotos: Fernanda Lopes – dinhalopes@hotmail.comhttp://br.olhares.com/fernandalopes
Músicos:
Alann Marino – alann.marino@bol.com.brhttp://twitter.com/Alannmarinohttp://alannmarino.wordpress.com/
Alforria – contatoalforria@gmail.comhttp://www.alforria.net/
Arlindo Lima – arlindo.lima@uol.com.br
Carlinhos Veiga – cveiga@terra.com.brhttp://www.carlinhosveiga.com.br/
Claudio Martos – claudio@buenaonda.com.brhttp://www.buenaonda.com.br/
Diego Venâncio – diegovenanciosilva@gmail.comhttp://diegovenancio.blogspot.com/
Eduardo Mano – eduardomano@gmail.comhttp://www.eduardomano.net/
Elen Lara – elenlararocha@gmail.comhttp://www.elenlara.com.br/
Elly Aguiar – elly.aguiar@gmail.comhttp://ellyaguiarmusic.blogspot.com/
Fabinho Silva – fasilva_h@hotmail.comhttp://raizdumaterraseca.blogspot.com/
Ivan Melo – ivanmelo06@yahoo.com.brhttp://www.myspace.com/ivannogueiramelo
Joede Cruciti – joede.cruciti@gmail.comhttp://www.emporiocristao.com.br/
Nando Padoan – nandopadoan@hotmail.comhttp://www.myspace.com/nandopadoan
Sacrifício Vivo – gruposacrificiovivo@gmail.comhttp://www.sacrificiovivo.com/
Saulo e Renata Calantone – renata.calantone@yahoo.com.brhttp://duosauloerenata.blogspot.com/
Tiago Vianna – tiago@tiagovianna.comhttp://www.tiagovianna.com/

O blog MPB Santo agradece a todos os músicos envolvidos neste projeto, que Deus retribua a generosidade de cada um e continue a inspirá-los na composição e execução de novas canções!

“Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.”
Colossenses 3:16

Baixe o CD MPB Santo – Volume 1, se possível imprima a arte, e distribua-o a um(a) amigo(a), não deixe de citar e prestigiar os músicos que participaram deste projeto!

Incentivo que você, após baixar o material, comente no post que o Cleber escreveu no MPBSanto. Iniciativas assim precisam ser incentivadas e parabenizadas.

Um abraço e boa música!

Eduardo Mano

Mercado da Música. E eu com isso?

Eu ainda compro Cds. Confesso que em bem menor quantidade que há alguns anos atrás, mas ainda os compro. Fui colecionador meio que compulsivo de discos até 2001, quando comecei a ser mais seletivo com minhas aquisições. Só que, assim como acontece com quase todos os cidadãos com uma conexão de internet em casa, de uns anos para cá tenho mais baixado que comprado discos.

Acho aqui importante frisar uma coisa. Como vocês sabem eu sou músico, e a venda dos meus Cds ajuda um bocado no caminhar da minha banda / ministério, mas creio que os preços praticados pelas gravadoras (sejam elas cristãos ou não) é abusivo. Há Cds fabricados no Brasil, de artistas nacionais, que chegam a custar uma pequena fortuna. Isso, para um produto que supostamente é mídia para a divulgação da cultura é absurdo.

Mas ainda assim, creio que comprar Cds é um hábito de certa forma saudável. Se não for pesado ao seu bolso, ganha você, que adquire cultura e em alguns casos ganha o artista, que consegue sua renda justa (além de um admirador).

No Brasil, e em nossa cultura cristã atual, há um sem-número de artistas independentes que, mantendo o pé no chão, oferecem seus Cds por preços justos e acessíveis. Gente que algumas vezes conta apenas com a ajuda de uma distribuidora para que seu trabalho chegue a lugares onde ele mesmo ainda não pode chegar. E também há muitos que correm por fora, criando lojas online, perfis em redes sociais, entrando em contato direto com aqueles que curtem seu trabalho e contando com a ajuda de amigos e admiradores para fazer seu trabalho chegar a outros ouvidos.

Confesso que nessa situação eu me vejo um pouco romântico. Um pouco não, muito. Desde que gravei meu primeiro trabalho, enxerguei na distribuição gratuita do conteúdo digital não uma oportunidade (apenas), mas a chance de dar de volta algo que eu já havia recebido em grandes doses, uma espécie de tributo ao legado de música evangélica que eu havia recebido e adquirido ao longo de anos. Entendia que era uma oportunidade de fugir do padrão “prosperidade / má teologia” que de alguma forma deixamos que tomasse conta do nosso cancioneiro. Então, indo além desse pequeno ato, chegou um momento em que decidi que sempre que gravasse alguma coisa, entregaria isso de volta na forma de download gratuito. Mas sim, também com a opção da mídia física tradicional para aqueles que quisessem abençoar o trabalho.

De qualquer forma, não creio que este pensamento seja para todos, e nem creio que eu seja alguém melhor por pensar assim. Meus “heróis”, que não morreram de overdose, todos, vendem Cds. Os que não ganho (esse é o lado positivo de ser amigo de alguns de seus heróis) eu faço questão de comprar, por aqueles motivos que listei no início do texto: ganho eu, que adquiro cultura (e também bençãos, sim) e ganha o artista, que consegue sua renda.

Fico feliz que a maioria dos meus “heróis” sejam praticantes dos valores justos de suas obras, mas há uma tendência nisso: todos são independentes. Daí alguém pode dizer: “mas os Cds de gravadoras são mais caros pois os custos de marketing e produção estão envolvidos e tambézzzzzzzzzzzzzzzzzzzz”. Foi mal esse papo me deixou com sono e acabei dormindo no teclado. As gravadoras (e isso inclui as evangélicas) investem alto em seus lançamentos pois, em geral, o que elas lançam é lixo, e lixo que precisa ser vendido. Se lançassem música de qualidade, garanto que os investimentos com marketing seriam menores, pois coisa boa é passada adiante sem custo.

Mas, como nem tudo é perfeito, é claro que isso esbarra em outro problema: o fato de que nossa educação musical é feita pelos programas de auditório e pelas rádios FM. Mas isso é outro papo.

Eduardo Mano

Motivações

Desde que anunciei que o download dos discos Canções para Grupos Pequenos e Esperança seriam suspensos por tempo indeterminado no dia 31 de julho, apenas uma pessoa perguntou para mim qual era a razão dessa atitude.

Como gostei da pergunta, estendo minha resposta a todos os leitores.

Não é necessário dizer da importância que esses dois discos têm na minha vida e no meu ministério. Até hoje as músicas neles contidas são cantadas por mim em igrejas, em casa, na devocional, no banheiro. São verdades que permanecem em meu coração. Simplesmente excluí-las do servidor não tem nenhuma relação com excluí-las da minha vida e da minha história. Aliás, é justamente por crer que elas são tão importantes nisso tudo que tenho feito (músicas, viagens, amizades) que elas serão indisponibilizadas por um tempo ainda indeterminado.

Com isso, entendamos:

Não é por ser indeterminado que o tempo é eterno. Ou seja: não é por elas saírem que não hão de voltar, de um jeito ou de outro.

Por isso, amigos, não tenham dúvidas: minha filosofia de trabalho e ministério continua intacta: meu compromisso é de sempre disponibilizar gratuitamente aquilo que eu gravar, seja sozinho, seja com banda, seja com orquestra. Não importa o quanto isso custe, a mensagem, de alguma forma, será gratuita.

É isso. Como disse no post anterior, aguardem que teremos muitas novidades.

Um abraço,

Eduardo Mano

PS: Vocês nem perceberam, mas dei uma dica grande no texto. 😉 Ou talvez tenha percebido. 😛

Back from the Dead

É o que temos por aqui, como você já percebeu. Mas são muitos os fatores que fazem com que os posts no blog sejam parcos. A começar pelo trabalho, que… bem, é trabalho. Também, recentemente fiquei sem meu computador, o que já era de se esperar, em se tratando de um CCE. Foi-se. E tem os ensaios e saídas da banda.

Falando nisso, estivemos em Suzano e Poá, cidades da Grande São Paulo, no último final de semana. em Poá tocamos no sábado à noite na igreja Terra Fértil, e no domingo, a no Abrigo 7, que nos convidou a ir até lá. Foi um tempo muito feliz, com algumas novidades e a apresentação de duas músicas novas. Ampliar o repertório é preciso.

Outra novidade é que tivemos uma substituição. O Léo, guitarrista que não é meu irmão, está seguindo outro rumo, e perseguindo a carreira que ele quer. Isso requer que ele não esteja mais tão presente junto à banda (na verdade, nem presente na cidade mais ele estará), então ele precisa ir. Ele vai fazer algo que eu sonho fazer desde que voltei de São Paulo, há longos 12 anos atrás. Sinto uma pontinha de inveja e um iceberg de orgulho dele. Ele não faz idéia disso, imagino, mas sinto que a distância dele vai doer um pouco. Ele é o irmão que não tive, e tenho.

Leo Neves, em foto de Leandro Neves

Bem, momento despedida mode off, quem assume a guitarra é o Fábio Boa Sorte, que já tocou comigo há alguns anos, e de quem também não sou irmão. Boas vindas a ele. 🙂

Binho Good Luck

Pra ser guitarrista da banda, tem que parecer comigo.

Outra novidade é o Jonatas Damasceno, amigo dos tempos de Gênese, que comando as quatro cordas.

@jonatasCD

Jônatas, bandoleiro

E como esquecer do dono das baquetas?

designing drums

Pixador.

 

Há alguns meses eu vinha pensando em como juntar as pessoas pra esse trabalho. Pessoas comprometidas com Deus e que poderiam se dedicar à banda da forma necessária, ensaiando e saindo para os corres. Deus foi muito gentil comigo, conosco.

Agora é continuar o trabalho. Novas músicas vindo… coisas mudando no coração.

Fiquem aí com uma das novas músicas, chamada Palavras. Repare que eu esqueço a letra no meio, as usual.

O melhor ainda está por vir. 🙂

Abraço,

Eduardo

Em Manaus, pt 03

Já estamos em Manaus em alguns dias e aionda não colocamos nenhuma foto aqui. Bem, vamos lá. Essas são algumas fotos nossas (eu e Eline) no retiro e em nossos primeiros momentos na cidade, no palácio Rio Negro e no Teatro Amazonas. Obras de arte arquitetônicas!

Ontem tomamos as vacinas para a viagem e tenho trabalhado bastante por aqui, enquanto o pr Manoel e sua esposa Lena levam Eline para passear. Temos muito a conhecer ainda da cidade… tesouros inesgotáveis.

Também tivemos uma conversa muito legal com um representante de uma editora cristã muito legal, pensando em possíveis parcerias musicais. Isso foi uma fonte de grande alegria e ânimo para a gente… então, em nossa ida a SP eu darei um pulo em uma cidade próxima à capital para conversar com os caras e ver no que dá. Orem por isso!

Eis as fotos!

É isso… antes de sexta, quero postar mais um vídeo e mais fotos.

Um abraço a todos!

Eduardo e Eline Mano